Em noite de gala, o Gimnodesportivo de Turquel encheu para a receção ao “renovado” Sporting de Paulo Freitas, que tão boa conta de si tem dado na presente temporada. O HCT enfrentava a melhor defesa do campeonato (apenas 25 golos sofridos em 17 jogos) à partida para este embate e o seu pecúlio não aportava muita coisa positiva nos últimos tempos, já que a última vitória alvinegra tinha sido há quase dois meses, mais precisamente a 13 de janeiro do corrente ano, no 3-5 em Saint Omer (2ª Mão dos oitavos-de-final da Taça CERS), ainda com Jorge Godinho ao leme. Os primeiros momentos do jogo marcaram a tendência, já que logo aos quatro segundos o Sporting se colocou na frente e aos dois minutos já tinha dois golos à maior. A partir daqui os leões geriram sempre as incidências, promoveram longas trocas de bola, mesmo não tendo dado muito trabalho a Tuga e chegaram ao intervalo a vencer por conclusivos 0-4. Na etapa complementar o HCT reagiu, teve um bom período no encontro, mas não conseguiu superar a oposição de Girão e a defesa compacta dos verde e brancos. O Sporting acabaria mesmo por marcar mais três tentos, contra apenas um dos da casa, sendo Daniel Matias o autor do golo de honra dos “brutos dos queixos”. O 1-7 final, curiosamente o mesmo resultado verificado na primeira volta no Pavilhão João Rocha em Alvalade, não merece qualquer tipo de contestação.

Logo aos quatro segundos da primeira metade o HCT já estava em desvantagem (0-1), pois na jogada de saída, o catalão Ferran Font superou a oposição de Daniel Matias e desviou uma bola bombeada para o interior da área visitada por Pedro Gil, para inaugurar o marcador. A entrada turquelense no jogo foi completamente a frio e com o patim esquerdo e este golo sublinhou ainda mais aquele que já se esperava que fosse o pendor do encontro. O domínio dos leões acentuou-se e a equipa de Nelson Lourenço desmoronou-se tal como um “castelo de cartas” ao primeiro sopro. Aos dois minutos, numa transição rápida, Vítor Hugo descobriu Pedro Gil na direita do ataque e este com um remate feliz, de primeira enrolado, ludibriou Tuga no 0-2. O jogo entrou depois numa toada de parada e resposta, apesar do “tombo inicial” a equipa da casa recompôs-se e conseguiu alguns lances de muito perigo junto da baliza de Girão, mas o internacional português respondeu sempre muito bem e manteve a sua baliza inviolada. A sete minutos do fim do primeiro tempo, após uma fantástica assistência de João Pinto, Toni Pérez fugiu à marcação de Pedro Vaz e finalizou de primeira na área para fazer o 0-3 e “abalar” ainda mais a confiança dos turquelenses. Dois minutos do fim, num lance de penalty em que Vasco Luís é claramente empurrado por um contrário, o camisola nove acabou por cair em cima de Girão na sequência do lance e o guardião verde e branco teve de sair tocado, dando o seu lugar a Zé Diogo. Até ao descanso mais um golo para o Sporting, num ataque rápido conduzido pelo internacional argentino, Matias Platero, ele que assistiu Caio e este último, “driblou” a oposição de Luís Silva e atirou a contar com remate rasteiro enrolado para fazer o 0-4 com que se avançou para os balneários.  

Na segunda metade Girão voltou a assumir a baliza dos forasteiros e, mesmo parecendo algo condicionado, conseguiu um “punhado” de boas intervenções, naquele que foi o melhor período dos locais no jogo. A partida teve momentos de frisson, junto da baliza do Sporting e nesta fase Tuga era quase um espetador, pois o Sporting assumiu uma postura de circulação de bola, sem atacar a baliza adversária, mostrando um pouco a faceta mais conservadora que tem adotado em 2017/2018. Aos oito minutos, um pouco contra a corrente do jogo, e em mais uma desatenção “terrível” da defensiva alvinegra, Ferran Font fugiu a Luís Silva e com toda a calma do mundo teve tempo para entrar na área de Tuga pela esquerda do seu ataque, rodar sobre si próprio e “bisar”, anotando o 0-5. Com o resultado a atingir números com vencedor totalmente anunciado, os treinadores deram oportunidade a todos os atletas de terem os seus minutos, Samuel Santos substituiu Tuga e Zé Diogo tomou o lugar de Girão pela segunda vez no jogo e mais golos só a oito minutos do fim, com Caio a ser lançado na esquerda e no 1x1 com André Pimenta a bater forte e colocado, junto às pernas do camisola 24 alvinegro, para ultrapassar Samuel Santos e fazer o 0-6. O HCT reagiu e num raro contra-ataque de 2x1, Vasco Luís combinou com Daniel Matias e este último atirou decidido de meia-distância para bater Zé Diogo e anotar o tento de honra dos visitados (1-6). A partida não viria a terminar sem um erro clamoroso da dupla de arbitragem, constituída por Sílvia Coelho e Orlando Panza do Porto, que até então não se tinha feito notar e que “borrou a pintura” no último segundo de jogo, quando João Pinto, vindo de trás da baliza, tentou colocar a bola no buraco da agulha, tendo sido “barrado” por Samuel Santos de forma clara, sem que a bola tenha estado sequer perto de ter entrado. Contudo, a chefe da equipa de arbitragem, Sílvia Coelho, viu o que mais ninguém viu no pavilhão e assinalou um golo que nunca existiu, que acabou por fechar as contas finais em 1-7 e que ajudou a dar ainda mais expressão ao incontestado triunfo leonino, num encontro que terminou sem que fossem mostrados cartões e que teve também poucas faltas de equipa (4-7). 

Ficha Técnica:

Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

Dia/Hora: 3 de março de 2018, às 21H

Competição: Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Hóquei em Patins 2017/18 (18ª jornada)

Árbitros: Sílvia Coelho (Porto), Orlando Panza (Porto), Paulo Carvalho [3º Árbitro] (Leiria) e Vítor Roxo [4º Árbitro] (Leiria)

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [4] Daniel Matias (1), [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C), [7] André Moreira, [10] Samuel Santos (GR), [22] Luís Silva, [53] Pedro Vaz, [57] João Silva “Janeka” e [58] Tiago Mateus.

Treinador: Nelson Lourenço

Sporting C.P.: [61] Ângelo Girão (GR), [88] Henrique Magalhães, [9] Pedro Gil (1), [4] Ferran Font (2), [30] Vítor Hugo, [91] José Diogo Macedo (GR), [16] João Pinto “Mustang” (C) (1), [57] Toni Pérez (1), [8] Ricardo Oliveira “Caio” (2) e [17] Matias Platero.

Treinador: Paulo Freitas

Faltas de Equipa: 4-7

Disciplina: Nada a assinalar.

Resultado ao intervalo: 0-4

Resultado Final: 1-7

No próximo sábado, 10 de março de 2018 pelas 21h locais (20h em Portugal Continental), regresso das competições europeias, com o HCT a deslocar-se a Itália para defrontar o Breganze na 2ª Mão dos quartos-de-Final da Taça CERS. Na 1ª Mão em Turquel, os transalpinos venceram já nos últimos segundos de jogo por 4-5, numa grande partida de hóquei em patins e a eliminatória decide-se agora em Breganze, uma comuna da região do Vêneto, província de Vicenza, no nordeste italiano, com cerca de 8000 habitantes. A formação orientada pelo argentino Diego Mir tem jogadores de alto nível e provou em Turquel que atravessa um excelente momento, mas tudo é possível para os comandados de Nelson Lourenço, que partem para Itália com a ambição de fazerem uma surpresa e chegarem à Final Four da competição.

Fotos: Catarina Maria