Encontro da 1ª Mão dos quartos-de-final da Taça CERS, estreia de Nelson Lourenço no comando técnico do HCT, após a saída de Jorge Godinho, e receção dos alvinegros ao terceiro classificado da Série A1 italiana, o Hockey Breganze, clube que conta nos seus quadros com vários internacionais, de vários países. Foi um jogo eletrizante, com os da casa a mostrarem grande atitude (a mudança de treinador pareceu ter tido esse efeito imediato) e a colocarem em sentido a equipa italiana logo desde cedo. Os turquelenses estiveram quase sempre em vantagem no marcador, mas nunca conseguiram segurar os avanços que iam rubricando no placard, pelo que a experiente e corpulenta equipa do Breganze acreditou sempre que poderia sair de Turquel com o triunfo. Viria a consegui-lo, a cinco segundos do fim, num lance de infelicidade para os “brutos dos queixos” e foi um velho conhecido dos portugueses, o internacional brasileiro Cláudio Filho, mais conhecido por Cacau, a selar o 4-5 final e a dar uma vantagem importante aos transalpinos para a 2ª Mão em Breganze no início de março. Encontro emotivo e muito bem jogado de parte a parte, com arbitragem, no mínimo desconcentrada da dupla espanhola formada por Josep Gomez e Daniel Pico, que complicaram o que não tinha complicação e passaram um mau bocado, com algum prejuízo para os visitados.

Primeiro tempo com entrada avassaladora dos da casa, que logo aos dois minutos se colocaram em vantagem, numa excelente combinação no corredor esquerdo entre Daniel Matias e André Moreira, com o primeiro a assistir de forma aérea o segundo e este a finalizar com classe na cara do jovem guardião internacional Sub-20 italiano, Bruno Sgaria. Foi a primeira explosão de alegria no Gimnodesportivo de Turquel e esta durou apenas três minutos, pois a reação visitante foi forte e o capitão do Breganze, Mattia Cocco, “bombeou” uma bola para o interior da área, na direção do “bomber” italo-argentino Federico Ambrosio, e este último desviou com classe para fazer o 1-1 e deixar tudo na primeira forma. A primeira parte estava bastante equilibrada e com onze minutos para se jogar, altura em que o Turquel até estava um pouco por cima, algumas decisões dúbias da equipa de arbitragem que viajou de Espanha deixaram as bancadas a ferver e isso passou para os jogadores. Após um lance duvidoso na área italiana, Daniel Matias, apenas por ter levantado os braços, viu Daniel Pico mostrar-lhe a cartolina azul, com o encontro parado, deixando o Breganze em vantagem numérica durante pelo menos dois minutos. A equipa alvinegra aguentou a situação de Under-Play com distinção e ao intervalo a igualdade a uma bola justificava-se, com os dois conjuntos a mostrarem argumentos para levarem de vencida o seu adversário.

Na etapa complementar, após uns primeiros minutos de constante equilíbrio, o conjunto alvinegro assumiu o controlo dos acontecimentos e impôs o ritmo em ataque organizado, mas não conseguiu marcar e quem o ia fazendo era o Breganze, com Franco Platero, internacional argentino e irmão de Matias Platero do Sporting a surgir no frente a frente com Tuga, mas com o guardião turquelense a negar os intentos do camisola 57 visitante. O ascendente do Turquel mantinha-se e aos treze minutos o capitão Vasco Luís deu enorme resposta à fantástica assistência de Pedro Vaz, fazendo o 2-1 com um remate “cortado”, de primeira, no interior da área, depois de ter fugido à marcação de Mattia Cocco, num duelo de capitães. Os da “aldeia do hóquei” estavam claramente por cima e entusiasmaram-se, com Vasco Luís, logo em seguida, a tentar um golo de antologia, com uma “picadinha” que Sgaria tirou com dificuldades e quase no imediato, numa transição em inferioridade numérica, Franco Platero (um dos melhores homens em rinque) furou a barreira formada por Pedro Vaz e André Moreira e, em queda, bateu Tuga. Este foi mais um lance polémico, pois no início da ação, Luís Silva sofre uma falta clara de Cocco antes do meio-campo, com o camisola 29 italiano a derrubar com o seu patim o atleta natural do Valado dos Frades. O 2-2 chegou de forma “seca” e “cínica” e limitou as ambições alvinegras, mas a equipa não se deixou abater, antes pelo contrário, reagiu em força com André Moreira a atirar à trave numa primeira instância e logo depois com Pedro Vaz, em excelente iniciativa individual, a ser derrubado na entrada da área contrária, de forma negligente, por Ambrosio (viu a cartolina azul). O capitão Vasco Luís soltou uma “bomba” na transformação do devido livre direto e fez o 3-2. Os da casa estavam imparáveis e no minuto seguinte Pedro Vaz surgiu solto pela direita do seu ataque, encarou o guardião contrário, mas acertou em cheio no poste. Aos dezasseis minutos Vasco Luís parece ter sofrido falta na tabela, falta essa que não foi assinalada, e quando se levantou o capitão turquelense recuperou a posição, acabando por derrubar Mattia Cocco na entrada da área de Tuga. Azul para o camisola 9 dos da casa e livre direto que o “especialista” Federico Ambrosio não conseguiu transformar em golo, atirando a bola por cima da baliza. O HCT aguentou novo Under-Play e um minuto depois da paridade ser reposta, caiu a 10ª falta de equipa dos visitantes. Vasco Luís voltou a não vacilar no devido livre direto, fazendo o seu “hat trick” com mais um míssil que voltou a furar Bruno Sgaria. O encontro estava eletrizante e o HCT tinha agora uma vantagem de dois golos (4-2) que teria de ser gerida com “pinças”. A equipa da casa mostrou-se compacta, mas não conseguiu parar a qualidade técnica individual dos jogadores contrários e permitiu o 4-3, num lance em que Ambrosio fez a diferença com uma assistência magistral para Cacau, e o brasileiro só teve de encostar para reduzir diferenças. Os comandados de Diego Mir foram em busca do empate e passados alguns segundos, Cocco, com uma stickada ao poste, ficou perto da igualdade. Com três minutos para jogar, num lance que tem tanto de casual como de ridículo, Vasco Luís viu o segundo cartão azul no jogo, em virtude de ter tocado inadvertidamente com o seu stique na mão de Alvaro Borja Gimenez. O espanhol do Breganze fez o seu papel com o “grito” e a “ação teatral” que o momento exigia e o também espanhol Josep Gomez, árbitro principal do encontro, decidiu retirar do jogo o capitão turquelense, numa decisão que deixou em fúria os muitos adeptos presentes. Quem não se importou com o “burburinho” causado pelo lance foi Ambrosio, que voltou a ser chamado à marca de livre direto e desta feita não desperdiçou, completando o seu “bis” e restabelecendo o empate (4-4) no encontro. Com menos de dez segundos para se jogar e quando tudo parecia redundar numa igualdade, Daniel Matias tentou “bombear” uma bola para o interior da área italiana, em busca da vitória, bola essa que foi intercetada por Ambrosio, que por sua vez lançou Cacau isolado perante Tuga e o brasileiro não se fez rogado, anotando o seu “bis”, e dando uma vitória (4-5) frustrante e totalmente imerecida aos transalpinos, quando o cronómetro marcava apenas cinco sgundos para se jogar.

Ficha Técnica:

Local: Pavilhão Gimnodesportivo de Turquel

Dia/Hora: 17 de fevereiro de 2018, às 21H locais (22H em Breganze, Itália)

Competição:  Quartos-de-Final da Taça CERS (1ª Mão)

Árbitros: Josep Gomez (Espanha), Daniel Pico (Espanha), António Peça (3º Árbitro) [Portugal] e David Barros (4º Árbitro) [Portugal]

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [4] Daniel Matias, [9] Vasco Luís (C) (3), [7] André Moreira (1), [22] Luís Silva, [24] André Pimenta e [58] Tiago Mateus. Não jogaram: [10] Samuel Santos (GR) e [57] João Silva “Janeka”.

Treinador: Nelson Lourenço

Faizane Lanaro Hockey Breganze: [10] Bruno Sgaria (GR), [57] Franco Platero (1), [29] Mattia Cocco (C), [37] Alvaro Borja Gimenez, [5] Federico Ambrosio (2), [57] Cláudio Filho “Cacau” (2) e [53] Stefano Dal Santo. Não jogaram: [23] Fabio “Mabo” Mabilla (GR), [2] Silvio Costenaro e [6] Filippo “Pippo” Compagno. 

Treinador: Diego Mir

Faltas de Equipa: 8-10

Disciplina: Cartão azul a [4] Daniel Matias (HCT), [5] Federico Ambrosio (FLHB) e [9] Vasco Luís (C) (HCT) [2X].

Resultado ao intervalo: 1-1

Resultado Final: 4-5

Será no dia 10 de março de 2018, às 21h locais (menos uma hora em Portugal Continental), que o HCT jogará em Breganze a 2ª Mão destes quartos-de-final da Taça CERS, com desvantagem de um golo no intervalo da eliminatória. Prevê-se, tal como nesta 1ª Mão em Turquel, uma partida dura e equilibrada em que o pormenor fará a diferença, sabendo de antemão que o ambiente que o HCT irá encontrar em Itália será frenético e o “Palaferrarin” (Pavilhão do Breganze) deverá ter lotação esgotada.

Nesta quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018, pelas 21 horas, os turquelenses colocam em dia a jornada do Nacional da 1ª Divisão, recebendo no gimnodesportivo turquelense o S.L. Benfica, em um jogo que se afigura tradicionalmente difícil para os encarnados. Na primeira volta na Luz os vice-campeões nacionais triunfaram por 4-0 (0-0 ao intervalo) e desta feita perspetiva-se mais um jogo em que os agora comandados de Nelson Lourenço deverão fazer a vida negra aos de Pedro Nunes. Espera-se mais um grande espetáculo de emoção, incerteza no marcador e de casa cheia. Não faltes e vem ajudar a reavivar o “Inferno da Aldeia do Hóquei”!

Fotos: Carmo Honório