A 1ª Mão dos 16 Avos-de-Final da Taça CERS ditou que o HCT fizesse uma viagem até terras helvéticas, mais precisamente até à cidade de Genève, para defrontar a agremiação local, o Genève R.H.C., ex-clube do turquelense Luís Coelho (terminou a carreira). Frente a um conjunto da casa que perdeu a hegemonia que tinha tido nos últimos anos no Hóquei em Patins suíço, os turquelenses passaram dificuldades inesperadas, principalmente no segundo tempo, mas mostraram seriedade, conseguindo uma vantagem de dois golos (3-5) para o jogo da 2ª Mão em Turquel. Colocando-se em vantagem no marcador por duas bolas de diferença (0-2) ao intervalo, a equipa orientada por Jorge Godinho ganhou tranquilidade, mas baixou a guarda e acabou por sofrer em demasia no segundo tempo, ainda que tenha tido sempre um a dois golos de vantagem no marcador até ao 3-5 final. O reforço André Moreira brilhou, ao anotar um fantástico “hat trick” na sua estreia europeia com as cores do Hóquei Clube de Turquel. Destaque final para a presença nas bancadas de cerca de três dezenas de emigrantes, provenientes dos arredores de Genève e de outros pontos da Suíça bem longínquos que deixaram a sua marca além fronteiras e apoiaram a nossa equipa do princípio ao fim. Um bem-haja para todos eles…sem exceção.

Primeira parte com entrada forte dos visitantes, que logo na jogada de saída lograram inaugurar o marcador por intermédio de Vasco Luís, com assistência de Pedro Vaz, num lance de laboratório. Uns minutos mais tarde Vasco Luís foi claramente agarrado na área contrária pelo irrequieto Robin Simons e a dupla de arbitragem espanhola apontou para a marca de grande penalidade. O mesmo Vasco Luís, na conversão do castigo, não conseguiu bater o guardião espanhol, proveniente das Astúrias, David Cosme (excelente exibição). A poucos minutos do intervalo e já com a rotação completa dos jogadores de rinque feita pelo técnico Jorge Godinho, Janeka “partiu os rins” a Guillem Coll Ramada e ultrapassou a oposição de Cosme na baliza visitada para colocar as contas em 0-2 na saída para os balneários.      

No segundo tempo a equipa alvinegra entrou mal, concedeu muitos espaços para o adversário criar perigo logo nos momentos iniciais e permitiu que o “gigante” Juan Cerezo “atirasse” várias vezes de longa distância, com uma delas a enganar um Tuga completamente encoberto por uma “floresta” de atletas bem à sua frente. O 1-2 fez acreditar os atletas e o público local, mas poucos minutos depois André Moreira “colocou água na fervura” ao recargar com êxito uma stickada da meia esquerda do capitão Vasco Luís. A partir deste momento pensou-se que o HCT iria conseguir estabilizar o seu jogo e avançar para um resultado mais avolumado, ainda para mais com o livre direto da 10ª falta de equipa dos visitados a cair logo a seguir. Contudo, Janeka permitiu a defesa a David Cosme na tentativa de transformação do respetivo livre direto e poucos minutos depois o Genève reduziu mesmo para 2-3, em mais um livre direto, desta vez convertido por Juan Cerezo (“bisou”), que disparou forte, impossibilitando a defesa de Tuga. O encontro estava dividido e em toada de parada e resposta e disso se aproveitou o HCT que volvidos pouco mais de três minutos voltou a colocar uma diferença de dois golos no marcador, com André Moreira a aproveitar uma excelente assistência de Luís Silva para “bisar” com remate seco e colocado à entrada da área contrária. Ainda assim, os da casa não desistiram e no minuto seguinte voltaram a repor um golo de diferença no marcador (3-4), depois de Jonathan Waridel ter desviado oportunamente um remate de longa distância de Guillem Coll Ramada. O empate esteve perto depois de Óscar Valverde, um dos árbitros da partida, ter descortinado um agarrão de Pedro Vaz ao capitão do Genève, Louis Forel, na área turquelense, só que Tuga esteve intransponível na devida penalidade perante o conterrâneo Flávio Silva, negando o golo ao português que atua no clube suíço à primeira e também à segunda. Não marcaram os helvéticos marcaram os portugueses, também de grande penalidade a castigar um patim na bola do capitão Louis Forel (viu a cartolina azul por protestos na sequência do lance), e André Moreira mostrou atributos também na bola parada para fazer o seu “hat trick” e o consequente 3-5. Logo depois, na área contrária, André Pimenta também incorreu num patim na bola, sendo que Valverde seguiu o mesmo critério adotado segundos antes e foi perentório a apontar para a marca de penalidade. No frente a frente com Guillem Coll Ramada, Tuga voltou a levar a melhor e segurou a sua equipa no jogo com dois golos à maior. Até final destaque para dois livres diretos a favor do HCT (15ª falta de equipa do Genève e azul a Juan Cerezo por derrube ostensivo a Luís Silva), que em caso de golo poderiam dar uma “almofada de conforto” ainda maior para o jogo da 2ª Mão em Turquel, mas Luís Silva primeiro e Vasco Luís depois permitiram duas excelentes intervenções de David Cosme, ainda que o guardião do Genève, em ambas as situações, tenha claramente saído da baliza uns bons segundos antes do previsto na lei, sendo que nos dois momentos os árbitros da partida fizeram “vista grossa” ao sucedido. A partida chegou ao fim e o resultado de 3-5 traduz na perfeição o que se passou em rinque, foi uma vitória justa dos alvinegros, que apenas pecaram por não terem trazido um outro diferencial para o embate entre os dois conjuntos em Turquel.

Ficha Técnica:

Local: Centre Sportif La Queue d’Arve – Genève (Suíça)

Dia/Hora: 4 de novembro de 2017, às 17:30H locais (16:30H em Portugal Continental)

Competição: 16 Avos-de-Final da Taça CERS (1ª Mão)

Árbitros: Óscar Valverde (Espanha), Ivan Gonzalez (Espanha)

Genève R.H.C.: [23] David Cosme (GR), [28] Flávio Silva, [33] Guillem Coll Ramada, [6] Robin Simons, [31] Louis Forel (C), [8] Juan Cerezo (2), [99] Jonathan Waridel (1), [17] Sylvain Rossel e [19] Fabien Waridel. Não jogou: [13] Timothé Riotton (GR).  

Treinador: Jerôme Desponds

H.C. Turquel: [13] Marco Barros “Tuga” (GR), [53] Pedro Vaz, [24] André Pimenta, [9] Vasco Luís (C) (1), [7] André Moreira (3), [22] Luís Silva, [57] João Silva “Janeka” (1), [4] Daniel Matias e [58] Tiago Mateus. Não jogou: [10] Samuel Santos (GR)

Treinador: Jorge Godinho

Faltas de Equipa: 8-8

Disciplina: Cartão Azul a [31] Louis Forel (C) (GRHC) e [8] Juan Cerezo (GRHC).

Resultado ao intervalo: 0-2

Resultado Final: 3-5

No próximo dia 25 de novembro de 2017, às 21 horas, o HCT joga em casa a 2ª Mão destes 16 Avos-de-Final e partirá para o jogo de volta com dois golos à maior que os suíços, um adversário de valor, que vendeu cara a derrota na 1ª Mão e que trouxe dificuldades já esperadas pelos responsáveis turquelenses.

Nesta quarta-feira, 8 de novembro pelas 21 horas, os turquelenses colocam em dia a jornada do Nacional da 1ª Divisão, deslocando-se até ao pavilhão da Luz para defrontarem o vice-campeão nacional, S.L. Benfica, na terceira ronda da prova. Na pré-temporada as duas equipas defrontaram-se no jogo de apresentação dos alvinegros em Turquel e a vitória sorriu aos encarnados por 2-3. Vamos todos à Luz apoiar a nossa equipa, para que desta vez a história se possa escrever de maneira diferente.

Fotos: Dinis Vicente